As diferenças entre Value e Speed Graph no AE | Ctrl+Alt+N

Todos sabem – ou deveriam saber -, que dominar o Graph Editor é parte fundamental no processo de animação em qualquer software. Contudo, não é tarefa fácil compreender ou interpretar o que as curvas do Graph Editor significam. Além disso, algumas aplicações (como o próprio After Effects), possuem dois tipos de Graph Editor: o Valeu Graph e o Speed Graph, ou Gráfico de Valores e Velocidade, respectivamente.  E apesar de ambos serem usados com o mesmo propósito, cada um deles “mede” a animação de forma particular e são projetados para coisas específicas do mesmo modo.

Assim, vamos examinar as diferenças entre o Value Graph e Speed Graph no After Effects.

Reconhecendo a interpolação temporal

O Value Graph mostra as alterações no valor de uma propriedade (neste caso, Rotação). Examine como cada gráfico mostra visualmente certos tipos de interpolação temporal. – imagem via Peachpit

O Speed Graph mostra as mudanças na velocidade de uma propriedade, nessa caso Posição. – imagem via Peachpit


Interpolação Temporal
Representado no Value Graph
Representado no Speed Graph
Sem alterações na velocidade Linha horizontal Linha horizontal
Velocidade Constante Linha reta com alguma inclinação Linha horizontal
Mudança súbita na velocidade Canto agudo Linha desconectada/ease handles
Aceleração Curva com declive acentuado Curva inclinada para cima
Desaceleração Curva com declive raso Curva inclinada para baixo
Segurando Linha horizontal, sem conexão Linha horizontal, onde a velocidade atual = 0

Value Graph | Gráfico de Valores

O Value Graph mede o valor de uma propriedade na vertical e seu tempo na horizontal. As unidades nas quais os valores são expressos dependem do tipo de propriedade: a rotação é medida em números de rotações e graus; opacidade em porcentagens, e assim por diante. A inclinação da linha entre keyframes representa a taxa de variação em unidades por segundo. Linhas retas indicam um ritmo constante; linhas curvas indicam um ritmo de mudança, ou aceleração.

O Value Graph é particularmente fácil de entender quando se visualizam propriedades como Opacidade e Níveis de Áudio, porque essas propriedades correspondem bem forma de trabalho “alto e baixo” do gráfico.

Observe que algumas propriedades consistem em mais de um valor ou dimensão. Por exemplo, uma propriedade como Posição inclui valores para coordenadas X e Y (e em alguns casos Z). Assim, um gráfico de valor de posição inclui duas linhas codificadas por cores: uma representando o valor de coordenada X e a outra representando o valor de coordenada Y. É válido reafirmar que, quando um objeto usa o espaço Z no After Effects, ele adquire uma linha a mais em Posição, ou seja, a coordenada Z.

Speed Graph | Gráfico de Velocidade

O Speed Graph mede as taxas de mudança nos valores de uma propriedade. As unidades medidas pelo Speed Graph dependem do tipo de propriedade: graus de rotação/segundo, porcentagem de opacidade/segundo, e assim por diante. Independentemente da propriedade específica, a taxa de variação (unidades / seg) é medida verticalmente e o tempo (seg), é medido horizontalmente em ambos os gráficos. Portanto, a inclinação da linha representa a aceleração (unidades / seg / seg).

Comparado com o Value Graph, interpretar um Speed Graph não é tão simples. Por exemplo, no Speed Graph o valor de uma propriedade pode estar aumentando ou diminuindo, mas se sua taxa de mudança for constante, ela resultará em uma linha horizontal.

Use ambos, mas saiba onde e para quê

Tradicionalmente, usa-se o Value Graph para animações complexas (como personagens), e o Speed Graph para propriedade específicas (inclusive, algumas coisas só podem ser “amaciadas” no After Effects via Speed Graph). A facilidade visual do Gráfico de Valores possibilita um entendimento melhor sobre o processo de animação, pois o timming da animação é melhor representado nele. Contudo, pode-se usar ambos, até dado ponto, para fazer as mesmas coisas.

Dizem que uma das vantagens do Speed Graph é a possibilidade de se animar parâmetros de posição unificados, ou seja, podemos animar X, Y, Z sem a necessidade de separá-los. De todo modo, cabe a cada profissional escolher o que melhor se adapta, mas é sempre bom compreender as diferenças e aplicações de ambos os gráficos.

Comentários

comments