fbpx
Uma senha sera enviada para seu e-mail

Auto-foco: Guy Charnaux

O Auto-Foco é um post que vai ao ar toda quarta-feira e traz, a cada semana, um artista em destaque. Seja animador ou motion designer, conhecido ou desconhecido, grande ou pequeno, vivo ou extinto; se for talentoso, o Auto-Foco o fará jus.

Guy Charnaux

Apesar do nome diferente, Guy Charnaux é da nova geração de animadores brasileiros. Nasceu no Rio de Janeiro em 1990 e aos dezenove anos, iniciou seus estudos de Design de Mídia Digital na PUC-Rio, onde deu seus primeiros passos na animação com a ajuda de Marcos Magalhães, fazendo trabalhos de freelance e comissionados. Em 2015, formou-se no curso de Animação Clássica da Vancouver Film School.

Como trabalho de conclusão do curso da Vancouver Filme School, Charnaux fez o curta-metragem de animação “A Man Called Man“, que foi indicado ao prêmio de “Melhor filme de estudante” no Festival d’animation d’Annecy na França, que é um dos maiores festivais de cinema da Europa, ou seja, o cara já chegou chutando a porta! Com relação a essa indicação, Charnaux diz:

“Fiquei em estado de choque. Primeiro pensei que fosse algum engano por parte deles, que não era possível, que era bom demais pra ser verdade. Quando saiu no site deles a lista de filmes selecionados e o meu estava lá, aí sim pude ter certeza de que era oficial. Ter um filme feito por mim selecionado pro festival de Annecy era o meu grande sonho, era tudo o que eu queria, mas imaginava que isso só fosse acontecer daqui a muitos anos, não logo agora no começo da minha carreira.”

Charnaux é um animador bem versátil, em 2017 trabalhou na Lighthouse Studios como supervisor de animação e animador 2D, trabalhando com Toon Boom HarmonyCharnaux tem trabalhado como animador freelancer desde 2011, fazendo todo tipo de coisas: videoclipes, vinhetas de festivais, curtas-metragens e muito mais. A maior parte foi feita sozinho, com exceção de projetos maiores.

Charnaux dá umas dicas para quem está começando na carreira de animador e motion design:

“Siga seus impulsos criativos, confie nos seus instintos e ideias. Faça o seu trabalho com muito amor e dedicação, ponha o máximo de si naquilo que você faz. Não tem erro. E mande seu filme pros festivais!”

Para conhecer mais do trabalho de Guy Charnaux, entre em seu site e dá uma espiada!

 

Fontes: Anima Mundi, Puc-Rio

 

Comentários

comments