fbpx
Uma senha sera enviada para seu e-mail

Auto-Foco: Satoshi Kon

0 Auto-Foco é um post que vai ao ar toda quarta-feira e traz, a cada semana, um artista em destaque. Seja animador ou motion designer, conhecido ou desconhecido, grande ou pequeno, vivo ou extinto; se for talentoso, o Auto-Foco o fará jus.

Satoshi Kon

Satoshi Kon foi diretor, roteirista, animador e mangaká – quadrinista especializado em mangá. Sua obra é concisa, reflexiva, de uma psicologia sutil, que trabalha com aspectos do inconsciente humano e traz diversos elementos oníricos e surrealistas que invertem nossa perspectiva de mundo e realidade.

 

Seus filmes possuem uma beleza deslumbrante, com paisagens urbanas futuristas, robôs sensíveis, um fascínio criativo e destrutivo pela tecnologia, plot twists eletrizantes e histórias humanas emocionalmente contagiantes. Essas peculiaridades de suas animações criaram um séquito de seguidores fiéis em todo mundo.

Diferente dos outros diretores, apenas dirigia filmes de sua autoria. Há quem diga que inicialmente o mestre queria ser pintor.

Kon nasceu em 1963 e se formou em Design Gráfico na Musashino Art University em 1982. Comumente, Satoshi Kon é mais conhecido pelos seus quatro longa metragens em animação: Perfect Blue (1997)Millenium Actress (2001), Tokyo Godfathers (2003) Paprika (2006) e também por sua série, Paranoia Agent. Não obstante, antes de sua estréia nas telonas, Kon escreveu e desenhou uma série de mangás tão bons quanto os filmes que fez. Aqui vai alguns: Kaikisen, World Apartment Horror, Seraphim (junto com Mamoru Oshii), Opus (obra inacabada), Tropic of the Sea, Dream Fossil, etc. Satoshi Kon também ajudou na finalização e edição do mangá de “Akira”, de Katsuhiro Otomo.

 Sempre um perfeccionista, o animador preferia fazer tudo (ou quase tudo) sozinho. Com o sucesso de suas animações acabou deixando um pouco de lado sua dedicação pelos mangás. Em um depoimento, Satoshi Kon diz:

“No meu ponto de vista sou tanto um animador quanto um mangaká, mas quando sou apresentado em veículos de comunicação, eles se referem a mim como ‘diretor de anime’, colocando assim minha história de mangaká relegado ao esquecimento. Não me lembro de ter deixado de ser mangaká, mas não posso lutar contra a avaliação objetiva da sociedade.”

 

A grande maioria de sua filmografia foi animada pelo estúdio Madhouse, um dos maiores estúdios de animação do Japão. Algumas de suas obras foram fonte de inspiração para alguns cineastas hollywoodianos como Darren Aronofsky e Christopher Nolan. Em 2014, foi lançado o ArtBook “The Art of Satoshi Kon” onde Aronofsky faz uma homenagem ao mestre.

As animações de Satoshi Kon também ficaram muito conhecidas pelo seu aspecto inovador em suas edições e transições criadas. Na abertura de Paprika, meu preferido, esses recursos de edição ficam bastante evidentes.

No geral, o cineasta dirigiu 7 obras-animadas — incluindo séries, longas e curtas —, roteirizou 10 e animou 6 obras. Infelizmente, o seu mais novo filme “The Dreaming Machine” não chegou a ser finalizado, devido ao estado crítico de saúde que Satoshi Kon se encontrava na época. O visionário diretor faleceu em 2010, com 46 anos, devido a um câncer no pâncreas.

 

Comentários

comments