fbpx

Uma das coisas mais incríveis sobre animação é que se pode adaptar qualquer coisa para sua linguagem, basta querer. Com isso em mente, o animador, diretor e designer Meghdad Asadi Lari criou o filme Simorgh.

O filme é uma interpretação pessoal do livro sufi A Linguagem dos Pássaros de Farid ud-Din Attar, uma peça coreográfica que incorpora música persa, arte caligráfica e projetos de ornamento para contar a história persa quotidiana, e que lida com a fragilidade da autoestima.

A história centra-se em aves de raças diferentes, cada qual representando uma característica humana particular: ego, ganância, avareza, etc. As aves estão satisfeitas com suas percepções para consigo mesmas, mas em uma viagem que têm a chance de embarcar, percebem que são mais fortes como comunidade, permitindo uns aos outros contemplar seu verdadeiro Eu.

via simorganimation.com

Simorgh é o nome persa moderno para uma fabulosa, benevolente, e mítica criatura alada. A personagem pode ser encontrada em todos períodos da arte e literatura Iranianas, e também é evidente na iconografia da Armênia medieval. De certa forma, não deixa de ser uma espécie de águia-deus.

O filme foi amplamente abraçado por todo circuito global de festival de cinema, onde foi homenageado com diversos prêmios de animação. A trilha sonora ficou por conta de Saba Alizadeh, compositor e musicista do Irã.


Processos


Livro

Meghdad Asadi Lari ainda lançou um livro interativo para iPad com o poema original. Uma vez que os pássaros apresentados no filme foram inspirados e concebidos com base na caligrafia persa, o processo criativo por trás de projetar as aves também é abordado neste livro, trazendo um jogo divertido para que o leitor possa compreender como e onde a caligrafia persa foi usada para criar a forma de cada ave.

O ebook pode ser baixado aqui.

[sgmb id=”1″]

Comentários

comments