fbpx

Motion Blur: Quando e como usar?

Esse texto é uma tradução livre do artigo Should You Use Motion Blur in After Effects? escrito por Zak Tietjen, para o School Of Motion. Uma abordagem resumida sobre as variedades de técnicas e aplicações do motion blur em animações e motion graphics.

O Motion Blur é uma coisa boa ou ruim?

Você acabou de terminar sua obra-prima da animação mas sente que ainda falta alguma coisinha… Ah! Você esqueceu de ativar o motion blur! Agora sim… Perfeito.

Motion Blur... ATIVADO!

Motion Blur… ATIVADO!

Partiu começar outro projeto… certo?

Muitos motion designers não curtem a ideia de usar Motion Blur em seus projetos, alguns até dizem que o Motion Blur NUNCA deveria ser usado. Aqui queremos ser justos, por isso, vamos acompanhar alguns exemplos em que o motion blur pode ou não ser benéfico.

Os Benefícios do Motion Blur

A ideia do motion blur na animação surgiu com o intuito de ajudar a misturar alguns frames, simulando aquele borrão causado por objetos que se movimentavam rapidamente em câmeras antigas. Hoje em dia por temos câmeras com capturas em alta velocidade, é possível controlar o motion blur a ponto de fazê-lo desaparecer.

Sem esse deslocamento de movimento aplicado na animação, cada frame se torna um momento perfeito no tempo, fazendo com que a ação do personagem pareça um tanto quanto confuso. Isto é exatamente como as animações de stop motion se comportam. Enquanto o movimento é suave, cada quadro é um momento perfeito no tempo.

Cenas do filme de stop motion "Kubo and the Two Strings"

Cenas do filme de stop motion “Kubo and the Two Strings”

No entanto, quando aplicamos o motion blur, o movimento causa uma sensação mais natural, já que os quadros parecem estar mais contínuos. É aí que esse borrão pode realmente brilhar. Quando nossa animação está se esforçando para imitar a vida real, ou sendo composta junto a imagens de live-action, o motion blur pode ajudar a vender a credibilidade da nossa animação, fazendo-a parecer uma captação de câmera.

Breakdown de Spider-man: Homecoming

Breakdown de Spider-man: Homecoming

O problema do Motion Blur

Quando trabalhamos em um típico projeto de motion 2D no After Effects, pode soar natural simplesmente ativar o motion blur antes do render e partir pro abraço, mas não… às vezes é melhor não fazer isso.

Vamos tomar como exemplo um simples boucing ball para compararmos a aparência do movimento com e sem motion blur.

bouncing ball

bouncing ball

De início o movimento com motion blur pode parecer ok, mas ao analisarmos com calma, é possível perceber que o salto perde algumas nuances do movimento, principalmente quando a bola está mais próxima do chão e perde alguns frames de contato. A sensação do peso da bola desaparece. Aqui, o motion blur se torna um pouco desnecessário e também tira alguns detalhes da animação.

Como faço para dar a sensação do Fast Blur?

Se voltarmos nossa visão para a animação frame a frame, onde cada quadro é desenhado à mão, os animadores usam algumas técnicas como “smear frames” e “multiples” para transmitir a sensação do movimento rápido. O smear frame é a representação do movimento ilustrado em um único frame. Já o multiples seria a repetição de um frame diversas vezes. A ideia é sempre fazer seus olhos não perceberem a diferença.

Exemplo de "smear frame" no filme "Cat's Do not Dance"

Exemplo de “smear frame” no filme “Cat’s Do not Dance”

Um exemplo da técnica de múltiplos em Bob Esponja

Um exemplo da técnica de múltiplos em Bob Esponja

Animadores tradicionais usam bastante essa técnica hoje em dia na área do mtion graphics e isso funciona muito bem. Henrique Barone da Giant Ant é um desses animadores. Veja se você consegue detectar os smears deste GIF abaixo:

Character animation por Henrique Barone

Character animation por Henrique Barone

E se você estiver trabalhando no After Effects?

Existem maneiras muito estilizadas de transmitir a sensação de movimento rápido sem ter que ativar o motion blur pradãozão. Uma alternativa bem legal são os rastros que seguem o objeto que está em movimento. Tipo isso aqui:

Exemplo de ratros em "The Power of Like" por Andrew Vucko

Exemplo de ratros em “The Power of Like” por Andrew Vucko

O smear também pode ser feito dentro do After Effects:

"Don't be a bully, loser." por Emanuele Colombo

“Don’t be a bully, loser.” por Emanuele Colombo

Smear é algo que animadores estão aplicando em outros meios também. Usamos aqui o Stop Motion como um exemplo de animação que normalmente não possui motion blur, mas aqui você pode ver um exemplo desse borrão feito em um personagem impresso em 3D do filme ParaNorman, da Laika:

Exemplo de smear 3D em ParaNorman, filme da Laika

Exemplo de smear 3D em ParaNorman, filme da Laika

Além disso, o smear anda sendo utilizado na animação 3D. Em “The Lego Movie”, esses borrões foram feitos de maneira bem estilizada, usando múltiplos pedaços de legos para transmitir a sensação de movimento rápido.

Smears no filme 3D "The Lego Movie"

Smears no filme 3D “The Lego Movie”

Conclusão

Quando estiver trabalhando na sua próxima animação pare e pense em qual tipo de motion blur ela se encaixa. Algo mais realista ou estilizado? Talvez sem motion blur? Seja como for, escolha sempre com base no que sua animação irá se beneficiar ainda mais.

Bônus

Aqui estão alguns plugins que podem ajudar na hora de resolver tais dilemas. No entanto, criar um motion blur do zero por você mesmo pode resultar em uma abordagem mais interessante e controlável:

Ou se você está trabalhando com uma animação mais realista com um render 3D, gostamos muito do plugin Reelsmart Motion Blur (RSMB).


Foto de capa: Fabrizio Verrecchia

Comentários

comments