fbpx

O site Cartoon Brew conversou com o pessoal responsável por uma das pesquisas mais interessantes pra quem trabalha com animação e CG na SIGGRAPH desse ano. Traduzimos o texto aqui pra vocês conferirem a novidade!


 

E se você pudesse rascunhar uma textura ou estampa num pedaço de papel e ter todos os detalhes do seu trabalho feitos à mão, instantaneamente preservados na textura de um modelo 3D?
Bem, isso já é possível graças ao StyLit, um novo desenvolvimento em rendering não realista pela Czech Technical University, em parceria com a Adobe. O Cartoon Brew viu a tecnologia na SIGGRAPH esse ano, e imediatamente se perguntou se isso poderia ser traduzido para animação, e conversaram com um dos pesquisadores chefe do projeto.

O que é o StyLit?

Primeiro, vamos entender o que o StyLit faz. Usando um algoritmo especial, o aplicativo estiliza o render de um modelo 3D baseado no estilo de um desenho feito pelo usuário. Para fazer isso, a ferramenta não só analisa informações das cores, mas também informações sobre a propagação da luz na cena.

Essa é a parte especial da técnica: a análise da luz deixa o StyLit reproduzir – em tempo real – efeitos de iluminação específicos como a luz especular, sombras, reflexos polidos, dispersão de cores e iluminação indireta. “Geralmente artistas usam diferentes técnicas de estilização”, de acordo com o co-autor da pesquisa Daniel Sýkora, professor associado do Departamento de Computação Gráfica e Interação da Universidade Técnica Checa, em Praga.

Mas então como tudo isso funciona? Pra conseguir montar essa linha de produção, dois componentes são necessários. Um é o render de “Global Ilumination” que permite que o StyLit  separe individualmente diferentes efeitos de iluminação (um render desses pode ser feito usando o Iray renderer da NVIDIA, por exemplo). O outro componente é o que Sýkora descreve como “no novo algoritmo guiado pela síntese de imagens que nos permite transferir retalhos de um exemplar feito à mão para posições correspondentes no render final”.

Aplicação na vida real

Mas será que artistas conseguirão pôr suas mão no StyLit, e será que ele será mesmo útil? Por enquanto, o método StyLit depende de patente. Mas Sýkora diz que existem planos da sua universidade liberar um demo simples que deixaria outras pessoas brincarem com o aplicativo para pesquisa e outros fins não comerciais.

A comunidade das artes digitais certamente estão ávidas pra ver o que o StyLit pode fazer. Matt Wallin, por exemplo, é um artista VFX na Industral Light & Magic e Weta Digital, e agora também professor associado na Virginia Commonwealth University, na Escola de Artes, e diz que muitos dos seus estudantes são ilustradores “à mão”, que não usam ferramentas digitais.

“Para eles, ser capaz de usar suas habilidades de desenho tradicional juntamente com seus estilos originais e suas sensibilidades estéticas para criar estilos e texturas 3D únicas é algo realmente poderoso”, diz Wallin. “Isso tem o potencial de trazer muito mais sensibilidades artísticas para o mundo dos gráficos 3D”.

 

O render 3d original (a) e esemplos de como ele foi estilizado: (b) desenho tonal, (c) lápiz de cor, (d)pastel oleoso, (e) estilo história em quadrinho. Olhe como os efeitos de iluminação da esera são transferidos paraáreas com iluminação similarno modelo 3d. Renders por Daichi Ito (b), Pavla Sýkorová (c, d), and Lukáš Vlček (e).

O render 3d original (a) e exemplos de como ele foi estilizado: (b) desenho tonal, (c) lápis de cor, (d)pastel oleoso, (e) estilo história em quadrinho. Note como os efeitos de iluminação da esfera são transferidos para áreas com iluminação similar no modelo 3d. Renders por Daichi Ito (b), Pavla Sýkorová (c, d), and Lukáš Vlček (e).

StyLit poderia ser útil na animação também, e isso parece ser umas das possibilidades mais interessantes para a ferramenta. Os pesquisadores já chegaram a produzir animação pelo StyLit, renderizando frames individuais e  deixando o algoritmo estiliza-los independentemente. Apesar dos resultados exibirem certo grau de ruído temporal, Sýkora lembra que isso na verdade pode ser uma característica desejável, citando um estilo similar encontrado nas animações tradicionais do Bill Plympton, por exemplo.

Um detalhe importante é que o StyLit não foi desenvolvido dentro do vácuo de uma pesquisa acadêmica. Seis artistas cooperaram com os pesquisadores avaliando e dando opiniões. E é claro, pesquisadores do Adobe Research também são coautores no projeto StyLit.

Então, isso significa que talvez veremos o aplicativo como parte de algum tipo de produto da Adobe? Sýkora não soube dizer, mas a idéia de um demo executável parece ser promissora, e algo pra se ficar de olho enquanto isso.

Comparação do StyLit com o DeepArt.io, ferramenta similar que está disponível comercialmente.

Comparação do StyLit com o DeepArt.io, ferramenta similar que está disponível comercialmente.

Para saber mais, leia o texto inteiro da pesquisa do StyLit, apresentado na SIGGRAPH 2016. Se interessar, confira também o DeepArt.io.

 

Fonte: Texto original por Ian Failes, no Cartoon Brew

[sgmb id=”1″]

Comentários

comments