2   +   8   =  

Recentemente o Instagram anunciou sua nova identidade visual, uma pegada mais anos 90, abusando do gradiente e minimalismo. Para muitos que atuam na área das artes visuais, a nova logo gerou um certo reboliço nas redes sociais. Houve centenas de comentários pela volta do antigo visual, inclusive do aplicativo, que agora possui uma interface mais limpa, que segundo o conceito do próprio Instagram, é para gerar um foco único ao conteúdo, fotos e vídeos.

Mas teve também quem gostou da mudança e identificou o retorno do gradiente como revitalização da marca. Grandes empresas tendem a ditar tendências servindo de exemplo para outras marcas. A gigante Apple já possui em alguns aplicativos o uso de gradiente. A operadora OI e a empresa NETSHOES também entraram na onda; o SPOTIFY, de forma mais leve, também aplicou a ideia em seu layout.

 

Um novo Conceito

O novo conceito foi descrito no post oficial do Instagram como uma evolução da comunidade, que após cinco anos de fotos e filtros se tornou algo ainda maior, de interesses globais em compartilhar mais de 80 milhões de fotos e vídeos todos os dias, refletindo o quão vibrante e diversificada está a comunidade hoje.

Há cinco anos o app surgiu com a função de editar e compartilhar fotos, mas a comunidade evoluiu e passou a agregar interesses diversos. Se tornou o caminho para que os usuários pudessem contar suas histórias de maneira visual – seja a partir de fotos ou a partir de vídeos. E o logo precisava acompanhar essa evolução. – Melissa Amorim, gerente de comunicação do Instagram para América Latina.

Uma peça em motion design também foi elaborada para promover o novo branding e ficou fantástica. A animação ficou a cargo da Buck, um estúdio especializado em direção de criação em design, que trabalha com animação, efeitos visuais e live action em Nova Iorque, Los Angeles e Sydney.

Confira o Vídeo dos caras:

Querendo ou não o uso do gradiente está voltando com força total, e não demorará muito para que nos acostumemos com este estilo e comecemos a utilizar em nosso dia a dia, ou não.

Aproveita que leu até aqui e confere o site do estúdio Buck, o pessoal manda muito.

http://www.buck.tv/

Fontes: Uol e Design Culture

[sgmb id=”1″]

Comentários

comments