fbpx

Como eles chegaram aos seus estilos próprios?

Criar um estilo próprio é um desafio. Recentemente publicamos um artigo sobre isso aqui no Layer, quando conversei com o Gustavo Henrique (@guutv) sobre como ele criou uma identidade própria em seus trabalhos.

Dessa vez, pedi a opinião de dois artistas internacionais. Eu tenho seguido o Black Childish (@blackchildish) e o Alexandre Nart (@alexandrenart) por um tempo e ambos me chamaram muito atenção por terem criado um estilo próprio muito forte e reconhecível.

Black Childish é de Martinica e hoje vive em Amsterdam, na Holanda. Ele tem um trabalho que une formas simples com cores vivas e texturas.

Imegens do Instagram @blackchildish

Alexandre Nart é original de Bordéus, na França, e hoje vive em Paris. Ele é ilustrador e animador e tem um traço inspirado em desenhos antigos. Muito divertido e original.

Imagens do Instagram @alexandrenart

Fiz perguntas tentando descobrir de onde surgiram seus estilos e qual o benefício de terem uma identidade próprio tão forte.

Você criou um estilo de propósito ou ele surgiu naturalmente?

Childish: Eu não criei meu estilo de propósito, ele foi construído naturalmente. Começou quando eu peguei alguns brushes novos de um colega de turma e comecei a experimentar com eles. Comecei a amá-los cada vez mais e queria usar em toda ilustração que eu fazia. Além dos brushes e das texturas, também tinham as cores que eu gostava mais de usar. Quanto mais eu usava essas cores e texturas, mais eu ia definindo meu estilo.

Alex: Posso dizer que eu encontrei o meu estilo à medida que meu trabalho evoluiu. Demorou muito tempo para que eu encontrasse um estilo que fosse a minha cara. Eu sempre amei desenhos animados, e eu assistia muito quando era criança. Acredito que isso influenciou meu trabalho. É de lá que eu tiro minhas inspirações.

Quais vantagens você vê em se ter um estilo próprio e reconhecível?

Childish: Ter um estilo próprio é legal porque você pode realmente criar um universo a partir dele. Você pode evoluir o estilo, fazê-lo ser único ou adaptá-lo para vários propósitos diferentes. Você sempre vai se divertir, não importa em quê você esteja aplicando seu estilo.

Apesar disso, pode ser perigoso ficar preso a um único estilo e começar a ilustrar apenas um determinado assunto. É por isso que, sempre que posso, eu tento aprender novas técnicas e adicionar “novos estilos” ao meu estilo, como 3D, hand drawing, vetores, etc…

Alex: A maior vantagem, para mim, é ser capaz de me expressar graficamente do meu jeito. Os clientes vão começar a te procurar pelo trabalho que você faz, e não para fazer coisas totalmente diferentes. E para mim, trabalhar com o que eu mais gosto é o que mais importa.

Você tem alguma dica para quem quer criar seu estilo próprio?

Childish: Minha dica seria: tente, tente, tente, experimente, cometa erros, seja paciente, veja o trabalho de outras pessoas, encontre inspiração em outros lugares (que não são ilustrações) mas, antes de tudo, SE DIVIRTA!

Alex: Eu não sei se posso dar algum conselho, mas o que posso dizer é que você tem que levar um tempo testando muitas coisas diferentes. Você sempre tem que tentar se renovar em seu trabalho. Sempre se desafie e saia da sua zona de conforto.

As imagens deste artigo são dos dois entrevistados!

Comentários

comments