fbpx

Papo Lemonade com SOMEI 晟

Somei Sun é um talentoso motion designer nascido em Wuhan, China. Seus mais recentes projetos são destinados ao grande mercado eletrônico chinês. Trabalhou no estúdio Bito como freelancer e atualmente mora em Xangai.

Layer Lemonade – Somei, o Layer Lemonade agradece por compartilhar conosco um pouco do seu tempo e experiência. Conte-nos um pouco da sua história, onde nasceu e cresceu e quando conheceu o Motion Design?

Somei Sun – Olá! Sou SOMEI, motion designer e diretor criativo na China. Nasci e cresci em Wuhan, uma cidade muito quente e posteriormente me mudei para Pequim para estudar. Conheci o motion graphics pela revista CG Magazine durante meu segundo ano do colegial.

LL- Você tem teve alguma formação na área de design e animação ou trilhou a caminho dos autodidatas?

SS- No começo, minha especialidade era automação. Mais tarde fui para a Academia de Mídias Digitais, onde nos ensinaram sobre Pós-produção; mas na maioria das coisas, eu era autodidata assistindo tutoriais do Greyscalegorilla e Video Copilot.

LL- Você nasceu e ainda permanece na China. Já teve a oportunidade de trabalhar fora do país? Teria algum estúdio que gostaria de visitar ou trabalhar em conjunto?

SS- Não, ainda não tive experiência em trabalhar no exterior. O mais longe que estive foi no estúdio BITO em Taiwan. Gostaria de ter mais experiência trabalhando fora, mas como você sabe, por conta do meu passaporte chinês, existem limites para onde eu posso ir. Mesmo assim, vou tentar se houver uma chance. De todos, os que mais gostaria de visitar são ManvsMachine, Buck e Giant Ant.

LL- Você esteve no Momentor.tv compartilhando um pouco de seu conhecimento. Como foi ser chamado para “ensinar” on-line. Você já fez algo assim,

SS- Sim, sim, participei do Momentor. Na verdade, não acho que seja “ensinar” propriamente dito, porque sempre compartilhei conhecimento com amigos da indústria. Só que, com o tempo, pensamos que era bom passar esse tipo de conhecimento aos outros. Isso permite que mais pessoas se beneficiem, então criamos um modelo de transmissão ao vivo.

Este slideshow necessita de JavaScript.

LL- A China é conhecida por seu gigante comércio de eletrônicos. Como isso influência a quem está começando e também aos veteranos da área de animação em seu país?

SS- Acredito que o desenvolvimento de produtos eletrônicos trouxe um novo “playground” ao motion design. No início, as animações focavam basicamente na apresentação da aparência e especificações técnicas do produto. Mas agora, os dispositivos de tecnologia começaram a aceitar vídeos mais criativos e conceituais, o que é bom para os novos e mais antigos profissionais da área. Os mais novos podem começar com pequenas marcas, enquanto os mais experientes podem mostrar seus trabalhos para mais clientes trabalhando com grandes marcas.

LL- Entre vários estilos que encontramos em seus trabalhos, qual é o mais requisitado no mercado Chinês?

SS- Cada marca tem sua própria personalidade, então tento diferentes estilos atuando com marcas que nunca trabalhei antes. Mas falando sobre mercado, a necessidade do 3D é maior que a do 2D; o motion design 2D exige uma alta complexidade e carga de trabalho. Mas talvez seja diferente no exterior, pois os clientes na China não pagam tão bem pelo 2D.

LL- Quais foram os primeiros trabalhos que te lançaram ao mercado do motion design?

SS- Fiz uma abertura para o governo quando estava na faculdade. Hahaha… No entanto, conheci o Motion Design por ter visto alguns vídeos na CG Magazine. Isso me fez muito bem!

Este slideshow necessita de JavaScript.

LL-  Quais os softwares mais utilizados por você em seus projetos e como é sua rotina de trabalho?

SS- Normalmente, são o Cinema 4D, After Effects, Premiere Pro e Octane Render. No início da fase criativa, sempre uso Octane para fazer alguns rascunhos rápidos no Cinema 4D. Ao mesmo tempo, vou faço um quadro com algumas referências pesquisadas no Pinterest. Só começo a juntar músicas e fazer animatics depois que os clientes aceitem a direção de criação. Faço um monte de testes ao mesmo tempo. Quando os animatics são aprovados, é metade da batalha vencida; o resto são pequenos ajustes, iluminação e render.

LL- O MI 6 – MirroBlack é um projeto fantástico, conte-nos um pouco sobre ele e sua participação como diretor e animador.

SS- Obrigado! Em março, a Xiamoi pediu-me que criasse um novo vídeo conceitual focando em seu novo material espelhado. Eu costumo fazer a produção sozinho e essa foi a minha primeira vez como diretor trabalhando junto de amigos para finalizar um projeto. Foi uma experiência excelente. A diferença entre produzir solo e trabalhar em conjunto é a comunicação, isso é muito importante. Pensei que a coisa mais importante era deixar que tivessem uma criação uniforme sobre a forma final do projeto. Então, fiz um animatic detalhado para referência, e distribui as cenas de acordo com as qualidades de cada profissional. Você pode ver que os créditos foram divididos em diferentes partes. O maior desafio foi que as pessoas envolvidas eram de diferentes cidades – a maioria trabalhava em tempo integral -, e só terminaram o projeto por ficarem até tarde trabalhando. Fico muito agradecido. Portanto, sinto que é uma conquista trabalhar em equipe.

LL- Quais são as suas fontes de inspiração e referências? Como a cultura chinesa influencia a sua arte?

SS- Acho que minha inspiração sempre vem por acaso. Posso ver muitas coisas engraçadas no tempo livre e gostar delas. Como as fotos de Matthiasheiderich, as pinturas de Lichaoxiong e alguma outra obra de artistas digitais. Não me lembro delas de propósito, mas elas sempre se escondem em minha mente e me inspiram na hora certa. Sou amante do “conceito de espaço branco” dos tradicionais pintores chineses, então meus trabalhos parecem simples. Espero que todos os elementos do meu trabalho tenham seu efeito e propósito. Minha compressão da arte chinesa está longe de ser suficiente, talvez seja uma direção para o meu trabalho no futuro.

LL- No TEDxNingboo OPENING é possível apreciar sua técnica e dinâmica. O timing, design e animação são itens que contam muito em projetos. Que dica daria a quem está começando nesse meio e almeja chegar ao seu nível?

SS- Obrigado pela apreciação. Alguns movimentos neste projeto foram encontrados por acaso em testes que fiz anteriormente. O que quero dizer é: aproveite todos os resultados que encontrou por acaso e grave-os. Seus próximos trabalhos serão melhores com esses resultados. Não pare de testar e ajustar, as ideias de movimentos podem parecer ruins na primeira vez, mas você saberá como melhorá-las. Então, continue analisando até ficar satisfeito.

LL- Qual o projeto mais difícil que já trabalhou e porquê?

SS-  Parece que o início de cada projeto é a coisa mais difícil. Mas é bom quando está pronto, haha. Falando sobre o pior, meu computador quebrou durante o projeto do R9S. Me senti realmente desamparado naquele momento, mas no final tudo correu bem.

LL-  Qual é o seu método quando trabalha em projetos como OPPO R11?

SS- As vezes forneço uma coleção de referências – mood board -, para mostrar o provável tom do projeto. Mas dessa vez, não queria ser influenciado pelo mesmo estilo das referências. Então, apenas comecei a fazer alguns testes de styleframe e animatic.

Após o Animatic ser aprovado, faço algumas mudanças de acordo com o feedback: um exemplo é a cena da Bola de Newton, que originalmente era uma cena de sorvete. Então ajusto o design, luz e render. Levei em torno de 45 dias para produzir.

LL- Estando familiarizado com esse estilo de design, qual foi a maior dificuldade com o projeto OPPO R11?

SS- Tentei esse estilo do “OPPO R9 Black”, no ano passado. Percebi, contudo, que não me sentia bom o suficiente nisso, e fui atrás de algumas referências. Tentei e tentei, uma e várias vezes… O maior problema foi em decidir o design inicial e a aprovação de paletas de cor.

No início do projeto, pensei em como escapar do convencional, em não me repetir, pois isso me motiva. Sabia que tinha um prazo de dois dias para apresentar algo, mas nada de idéias especiais ou interessantes, pois eu estava muito ansioso. Até que no último dia, tive uma ideia e apresentei-a. O cliente gostou desse estilo “surreal”, onde as cenas são como janelas que impressionam o espectador. A partir disso, segui adiante, mas com grandes dificuldades ainda em relação as cores de cada cena.

Por fim, fiz um monte de versões, mas a final fico ótima. 🙂

RAPIDINHAS:

LL- PC ou Mac?

SS- PC.

LL- Software favorito?

SS- Octane Render.

LL- 3D ou 2D?

SS- Ambos

LL- Trabalhar de dia ou a noite?

SS- A noite.

LL- Báijiǔ ou limonada?

SS- O quê? Água + limão.


O Layer Lemonade agradece imansamente a participação de SOMEI! As imagens que compõem as galerias desse post foram gentilmente cedidas por SOMEI.

Comentários

comments