fbpx

5 erros comuns de animadores iniciantes

Este artigo foi inspirado no artigo “6 Common Mistakes of Beginning Animators” postado no blog do Animation Mentor e escrito pela Jane Cassidy, animadora da Pixar. Algumas modificações foram feitas e certas dicas não são as mesmas do texto original.

Então você está pensando em entrar na área da animação – isso pode ser uma tarefa medonha. Aqui estão alguns exemplos do que não fazer quando começar!

1. Não seguir um plano de estudos

O universo da animação é muito amplo e você pode facilmente se perder em uma selva de informações e tutoriais. É por isso que cursos são importantes no começo.

Certamente, é possível aprender tudo que precisa saber sobre animação gratuitamente na internet, mas um bom curso vai te dar um conteúdo organizado, consistente e com uma metodologia que vai te fazer aprender de forma mais eficiente e sem deixar lacunas. Eu mesmo aprendi a usar o After Effects sozinho e já trabalhava com ele a um bom tempo quando tomei a decisão de fazer um curso e, nele, aprendi muitos detalhes importantes que estavam faltando no meu conhecimento e solidifiquei o que eu já sabia.

Mesmo que sua decisão seja de aprender por si mesmo, tente criar um plano de estudos onde você siga uma ordem lógica e não fique, arbitrariamente, pulando de tutorial em tutorial sem um objetivo claro. Se você vai começar do zero, é bom que nem procure pela palavra “tutorial” quando buscar conteúdo, e sim por “aula” (por exemplo: Aula After Effects). Isso vai te levar a encontrar materiais que te ensinem a usar o software em si, em vez de vídeos que ensinam truques e efeitos.

2. Subestimar o quão difícil é animação e não dedicar tempo suficiente

É muito frequente ver iniciantes subestimando a quantidade de esforço que você precisa colocar em uma animação. Até mesmo um bouncing ball pode demorar dias se você está começando. Parece algo simples mas, assim que você começa a mover os keyframes, pode entrar em pânico.

Entender que animação é, mesmo, muito difícil, é um passo essencial para o seu aprendizado. É importante não subestimar as tarefas e reservar um tempo grande para realizá-las, já sabendo que vai exigir muita dedicação, modificações e correções. Não só em animação, mas para aprender qualquer ofício é preciso de tempo e de prática.

Se um bouncing ball já vai levar um tempo para aprender, imagina um walk cycle! Ainda mais pelo fato de que, em animação, minúsculos detalhes, às vezes, fazem uma enorme diferença no resultado final.

3. Não dar e pedir feedback

Muitas vezes nós sentimos que não somos bons o suficiente para dar feedback ao trabalho de um colega. A verdade é que nós somos bons o suficiente sim. É olhando para o trabalho de outras pessoas que nós desenvolvemos o nosso olhar para animação. Além disso, ver e discutir sobre o trabalho de outros faz com que a comunidade se torne mais conectada. Todos nós temos alguma coisa a aprender com o outro, não importa o nível.

Não tenha medo de participar e comentar quando alguém posta o trabalho em um grupo. É sempre bom trocar idéias e experiências.

Desafie você mesmo a deixar cinco comentários por semana em trabalhos de outras pessoas. Também poste os seus e peça opinião. Aproveite-se da comunidade porque ela pode te ajudar muito mais do que você imagina.

4. Levar as críticas pro lado pessoal

Nós dedicamos muito tempo às nossas animações e temos certo carinho por elas. Por isso, pode ser difícil ouvir algumas críticas. Você não pode levar isso para o lado pessoal. Tente desapegar e enxergar seu trabalho como se fosse de outra pessoa.

É fácil ficar desanimado depois de uma crítica negativa a um trabalho que você se dedicou tanto para executar, mas tente entender que você não receberia feedback se a pessoa não acreditasse que você consegue melhorar. Acredite em si mesmo e na sua capacidade de evoluir. Críticas são um sinal do seu potencial.

Em um projeto real, você pode estar sendo dirigido por alguém exigente. Isso é um motivo para celebrar. Críticas ao seu trabalho não são críticas a você como animador, e vão, invariavelmente, fazer com que você evolua, mesmo que não perceba.

5. Complicar demais

Principalmente quando se está começando, é importante simplificar e focar em uma coisa de cada vez.

Entendo que é tentador, quando estamos aprendendo a animar personagens, por exemplo, pensar em cenas absolutamente complexas, onde o personagem anda, corre, pula e escala. Calma! Aprenda uma de cada vez. Animações complexas são, geralmente, resultado de muitas pequenas animações simples combinadas, portanto, aprenda uma a uma, sem pressa.

Seguindo o exemplo da animação de personagens, quando estudamos, não é bom usarmos ilustrações muito complexas e cheias de elementos (um personagem que tem orelhas grandes, uma capa, um rabo, tudo para ser animado). Começar com personagens “palito” ou silhuetas é um ótimo começo.

Além do mais, se você dedicar todo o seu tempo ao básico, vai, provavelmente, conseguir um resultado espetacular. Complicando demais, o seu tempo vai se diluir e o resultado final pode não ser tão bom.

A imagem da capa é do projeto adorável da MW Motion.

Comentários

comments