fbpx

Lidando com Críticas

Um das coisas que ajuda a evoluir nossas habilidades como designers, é, com certeza, sabermos receber críticas de outras pessoas. Pode parecer banal, mas muita gente se sente desmotivada quando ouve críticas de um trabalho que considera bom. Como aprender com as críticas e usá-las a seu favor?

Você não é o seu trabalho

Críticas são importantes porque elas mostram o ponto de vista de outra pessoa sobre o seu trabalho. Principalmente quando trabalhamos em um projeto longo, com o passar do tempo, nossa visão fica “viciada” e deixamos passar alguns detalhes e problemas que só alguém que está fora do processo poderia enxergar.

É por isso que o desprendimento é importante. Muitas vezes vemos nossos trabalhos como filhos, principalmente depois que gastamos muito tempo para chegar a uma certa solução. Lembre-se: VOCÊ NÃO É SEU TRABALHO. Levar críticas pra o lado pessoal, seja ela de quem for, vai diminuir suas changes de aprender.

O seu trabalho atual é resultado do seu ponto de vista e um reflexo de tudo que você sabe no momento presente. Isso quer dizer que uma crítica pode não fazer sentido pra você agora, mas revela pontos que você só entenderá com profundidade no futuro.

Ilustração de Jaime Jacob.

Saiba quem está criticando

Claro, existem críticas e críticas. Um comentário de um profissional da área, mais experiente que você, pode ter mais valor que a crítica de um não-designer. O que não quer dizer que você não deva valorizar esta crítica também. O importante é saber como absorver a opinião de um e de outro.

Um profissional experiente vai conseguir enxergar exatamente o que está errado e como você poderia melhorar. Vai usar um vocabulário técnico do tipo “está faltando easy ease neste movimento aqui!”. Um olho “treinado” faz uma crítica clara e certeira.

Quando os comentários vêm de um não-designer ou de alguém que seja o público-alvo do seu trabalho, normalmente temos que interpretar o que ele diz. As pessoas costumam “sentir” quando há algo errado, mas não têm vocabulário e experiência para saber exatamente o que é. Como, na maioria das vezes, nossos clientes são assim, pode ser bem difícil de saber exatamente o que eles não gostaram. Eles podem até fazer uma critica equivocada. Pode dizer que uma certa animação não está legal, mas, na verdade, o que o incomoda é a ilustração, por exemplo.

Com o tempo vamos nos acostumando a ouvir críticas nebulosas e interpretá-las. A chave para tal, no entanto, é aprender a fazer as perguntas certas sobre o trabalho. Observar à reação do cliente ao assistir o vídeo, ao invés de só ouvi-lo, pode ajudar também.

Ilustração de Jaime Jacob.

A necessidade de criticar algo

Quando pedimos opinião, algumas pessoas se sentem acuadas de dizer apenas: “eu gostei, está ótimo!”. Principalmente pessoas que não tem familiaridade com a área. Portanto, elas se sentem obrigadas a encontrar algo para criticar. É importante saber identificar este tipo de “crítico forçado”. Normalmente eles pensam muito antes de emitir uma opinião.

É bem diferente quando uma pessoa assiste a um vídeo por conta próprio, sem estar incumbida de expressar uma opinião. Uma boa dica, nesse sentido, é mostrar seu trabalho antes, idealmente sem dizer que foi você quem fez, analizar a reação da pessoa, e só então começar à fazer perguntas e pedir feedback.

Busque a crítica

Grupos de designers no Facebook ou no WhatsApp podem contribuir muito na sua evolução. Pessoas que são da mesma área que você, e em diferentes níveis de experiência, podem dar feedbacks bem importantes para a sua melhoria. Também é importante não se sentir envaidecido por críticas positivas. As vezes, as pessoas querem apenas ser legais com você e não estão sendo sinceras.

As ilustrações deste artigo são de Jaime Jacob.

Comentários

comments