Prove que é um ser humano: 1   +   7   =  
Uma senha sera enviada para seu e-mail

O mercado que quer transformar a animação em commodity

Hoje, em meados de 2018, sentimos um pequeno frio na espinha toda vez que ouvimos falar em softwares e aplicativos que automatizam animações prontas. Sim, e há várias opções no mercado. Isso é sintomático, pois algumas empresas viram esta oportunidade há um tempo atrás e querem transformar a animação e o motion design em commodities.

Pra quem não sabe, o termo Commodities atualmente é usado para se referir a produtos de qualidade e características uniformes, que não são diferenciados de acordo com quem os produziu ou de sua origem, sendo seu preço uniformemente determinado pela oferta e procura (é um pouco mais complexo que isso, mas o sentido é esse). E é exatamente isso que estes softwares se propõe: oferecer soluções rápidas e padronizadas a seus clientes.

Se você ainda não entendeu de qual tipo de mercado estamos falando, segue alguns cases de empresa e aplicativos que apostam no nicho de animação como commodity:

RawShorts

O RawShorts tem a proposta de ajudar o usuário a fazer vídeos DIY e também aposta em criar vídeos explicativos para empresas. O software é baseado em arrastar e soltar e é bem intuitivo, ou seja, qualquer um pode aprender a mexer em suas funções.

Videohive

VideoHive faz parte do Envato Market. No VideoHive você pode comprar e vender imagens royalty-free e projetos de motion graphics, os famosos templates. A precificação dos itens é baseada na complexidade, qualidade e usabilidade do arquivo; o preço total também inclui uma taxa do comprador.

O videohive funciona como market place para animadores, fotógrafos, sound designers e videomakers, tal como o mercado livre faz com pequenos e-commerces. Deixo, aqui, um pequeno exemplo de projetos de Motion Design que você pode comprar no videohive:

ProducTeaser

o Producteaser é software criado pela jovem startup brasileira Chiligum. A promessa é criar, com apenas alguns cliques, milhares de vídeos direto do catálogo de produtos de seus clientes. O software também tem integração com redes sociais e mensura dados de campanhas dos vídeos produzidos.

Ou seja, a empresa aposta no Data-Driven como core business através da elaboração de vídeos feitos DIY.

Afinal, essas soluções tomarão o mercado de animação?

Alguns profissionais pessimistas (ou otimistas demais, depende do ângulo que se olha a questão) acham que este tipo de mercado e solução, no médio prazo, irá dominar e subpujar métodos, técnicas e pipelines de animação como conhecemos. Meu palpite é: isso nunca acontecerá, mas existe uma condição para tal.

E explico o porquê! Aqui, no Layer Lemonade, já tratamos e noticiamos diversas tecnologias com este viés, ao passo que, também já discorremos bastante sobre a importância de se fazer Branding; diferenciar seu trabalho ou sua marca das demais. A verdade é que, você apenas será engolido por este tipo solução, se deixar seu trabalho tão automático e parecido com a mesma. Pois, criatividade não é uma commodity.

(caso não tenha visto, fizemos uma live com o Motion Designer Ariel Costa na qual ele trata de aspectos de Branding na animação – CLIQUE AQUI PARA ASSISTIR)

Alguns dos motivos pelos quais estas soluções nunca dominarão o mercado de animação e motion design:

  • As marcas querem personalização e inovação
  • Existe muita histeria coletiva e fetiche por robótica
  • Clientes têm necessidades diferentes
  • Machine Learning não substitui o lado humano em um trabalho criativo.

Uma coisa é certa, quanto mais especializado é o mercado em que você atua, menor a chance de soluções fáceis e de larga escala atrapalharem seu trabalho e ofício. Nunca experimentamos tantos avanços na área de tecnologia como nos dias de hoje, e é natural que empresas como as citadas acima tenham seu espaço também, apesar de encarar as soluções apresentadas pelas mesmas, de serventia apenas para nichos específicos.

O ideal é que você se especialize o quanto antes e tenha diferenciais competitivos e mindset de business. Em épocas de chatbots, o velho e bom atendimento personalizado e criativo, também poderá fazer a diferença na hora de fidelizar seus clientes.

(Jabazinho básico: caso queira se especializar, conhece o curso de motion design que oferecemos? – Clique e confira)

Você também poderá gostar destes artigos:

 

 

 

 

 

Comentários

comments