Uma senha sera enviada para seu e-mail

Receber conselhos de profissionais “velhos de guerra” nunca é demais. Karin Fong, Bradley Gmunkowitz e Mike Winkelmann são superstars do mercado mundial e dão conselhos de carreira em entrevistas para o canal The Futur, liderado pelo CEO da Blind, Chris Do. Os conselhos deles realmente podem mudar a forma com que você lida com sua carreira.

“Seja seletivo com o seu trabalho”

Neste conselho de Karin Fong, que é diretora e fundadora da Imaginary Forces, ela diz que é importante manter poucos trabalhos no seu portfólio. Você não ganha prestígio por ter um site com vinte projetos. Escolher apenas os 5 melhores trabalhos não só causa uma melhor impressão, mas também mostra que você sabe distinguir o que é bom do que não é.

 

“Faça trabalhos pessoais que você se orgulhe para atrair os clientes que pagam”

Você pode achar que trabalhos feitos para grandes clientes valem mais no seu portfólio do que trabalhos pessoais que você faz para si mesmo. A verdade é que os projetos pessoais é que devem mostrar o melhor que você tem para oferecer e, aí sim, atrair novos clientes. Os projetos comerciais são (ou pelo menos deveriam ser) uma maneira de nos proporcionar recursos financeiros para que possamos ter tempo para produzir nossos próprios trabalhos, segundo Gmunk.

 

“Crie, crie e crie!”

Mike Winkelmann, conhecido como Beeple, acredita que arte, em geral, é uma questão numérica e envolve um pouco de sorte. Isso significa que quanto mais você produzir trabalhos criativos, melhor você vai ficar e mais chances você tem de acabar criando algo genial. Então produza, produza, produza! Se possível, crie algo novo todo dia!

 

“Aprenda fazendo!”

Esse é o motivo pelo qual o diploma não é tão importante em nossa área. Não se pode dizer que você aprendeu a fazer algo sem pôr a mão na massa. É comum se assustar quando tem que lidar com um projeto diferente dos que você geralmente faz. Encarar estes desafios é a melhor forma de aprender.

 

“A perfeição não existe”

Gmunk diz que, nos seus vinte anos de carreira, ele nunca terminou um trabalho achando que está perfeito. Nós sempre vamos achar defeito nos nossos próprios projetos, mas isso nunca pode te impedir de compartilhar e pôr seu projeto “no mundo”. É comum que algumas pessoas, esperando alcançar a perfeição, não coloquem no ar aquele projeto pessoal que já gastou horas executando. Um pouco de desprendimento nessas horas é importante.

 

“Não torne seu trabalho mais difícil do que deveria”

No começo, Beeple modelava, ele mesmo, cada elemento dos seus projetos em 3D. Com o passar dos anos ele foi percebendo: “Ei! Eu não preciso modelar essa árvore. Isso é ridículo! Eu posso usar um modelo de árvore pronto!”. Atualmente, depois de muitos anos de carreira, ele diz que não modela mais nada. Usando só modelos prontos, ele tem mais tempo para focar nas coisas mais importantes como composição, cores ou a narrativa do projeto. É também uma questão de desprendimento. Você não precisa fazer tudo. Descubra o que é realmente importante no seu projeto e facilite as coisas quando puder.

 

“Descubra o que você mais gosta de fazer”

Colagens, composições tipográficas ou abstratas, ilustrações vetoriais? Qual tipo de projeto você mais gosta de fazer? É importante ter isso claro. Depois de alguns anos de experiência, você começa a perceber que tem mais prazer em fazer alguns tipos de projeto do que outros. São os projetos em que você se destaca. Saber disso é importante para que você saiba vender suas melhores qualidades e as coisas que você mais domina. Seus pontos fortes são os que as pessoas vão reconhecer mais em você e, claro, provavelmente vai receber maior demanda para exercitar e aperfeiçoar suas melhores habilidades.

 

 

Assista aqui o vídeo que deu origem a este artigo.

 

Comentários

comments