fbpx

Já imaginou acordar pela manhã, tomar um bom café, ligar o computador e o After Effects não estar mais lá? Os grupos começam a pipocar de mensagens. O telefone não para de apitar. Misteriosamente o AE sumiu da face da terra. Alguns ainda insistem em procurar. Nada nos servidores da Adobe, nem nos mares do Jack Sparrow.

Os clientes em fúria começam a ligar exigindo a entrega de seus trabalhos. Mal sabiam eles que estávamos todos vivendo a primeira onda do Apocalipse dos Softwares. Alguns conseguiriam se safar, pois já tinham estocado em seus bunkers outros softwares de emergência.

Em todos os fóruns, nas redes sociais, só se falaria de uma coisa:

Aproveitem seus últimos dias antes do arrebatamento final!

Nossos cientistas seriam capazes de encontrar uma curar para o vírus? Reverteriam essa grande confusão? Algumas soluções podem estar mais perto do que você imagina.

Imagem: Eduardo Recife

Lápis e papel na mão

Já sabemos que o lápis pode ser uma boa ferramenta para aniquilar zumbis e vampiros, mas a sua função primordial ainda é a de representar idéias.

Desenhar o básico pode te ajudar a planejar melhor o seu trabalho. Facilita também na hora de apresentar ideias rápidas para os seus clientes e companheiros. E te ajuda a não se surpreender tanto quando um software não vai bem.

Estamos cercados por imagens

Chegou a hora de você usar todo os seus conhecimentos em artes e design e começar a criar a sua direção de arte para além do convencional, afinal o cliente está no seu pé e o AE não está mais nesse mundo pós-apocalítico.

Surrupie aquelas revistas e enciclopédias antigas do porão da sua avó ou compre em sebos. As trate com carinho, é um material bruto com muitas imagens incríveis. Outdoords, cartazes de rua, lambe-lambes, também possuem imagens e texturas superinteressantes. Não tenha medo de criar.

Temos muitos artistas que trilham por esse estilo, se apropriando e subvertendo estas imagens. Nestas buscas fazem um trabalho muito legal de curadoria e pesquisa dessas imagens, que estão sempre muito cheias de história.

Acredite, a colagem te dá uma outra perspectiva do seu trabalho, além de exercitar os seus olhos para a criação de narrativas visuais que te fazem sair do óbvio. A humanidade já produziu muita coisa, se reapropriar delas é transformar.

Imagem: Marcel Lisboa

Textura

As texturas dão complexidade visual as imagens, isso porque a natureza é assimétrica e randômica. Sendo assim, uma imagem completamente simétrica pode nos causar uma certa estranhesa.

Utilize tintas e papéis diferentes para criar estas texturas. Além das tintas industrializadas, a natureza pode nos fornecer várias ferramentas, pigmentos e superfícies. Até aquele café velho pode dar um ar de envelhecido. O urucum traz um vermelho diferente. O Açafrão pode ser aquele amarelo que faltava na sua criação. Sem contar outras inúmeras plantas e frutas que têm a sua tinta natural. Desbrave todas essas possibilidades.

Utilize a sua velha câmera

Tire a sua velha câmera do armário. Seja ela digital ou analógica você vai capturar o mundo de uma forma diferente. Desde a profundidade de campo até a cor, você vai se surpreender com os novos olhares que vai encontrar.

Capture imagens, filme e faça animações. Processos como a fotocomposição e stop motion remontam as origens do design, da animação e do motion, e podem te dar inúmeros insights para sair da do convencional.

Imagem: Rodrigo Pinheiro

Impressora e Fotocópia

Parece antiquado, mas não é. Impressoras e fotocopiadores podem ser ferramentas poderosas para criação e composição ds sua arte final. Existem muitos filmes premiados que já utilizaram dos recursos da fotocópia e da impressão para garantir um toque mais orgânico ao resultado. As imagens ganham uma outra textura e as imperfeições não são vistas como um problema, mas como algo que deixa mais natural.

Explore outros Softwares

Estamos num apocalipse, mas nem tudo está perdido, não é mesmo? Outro software pode te dar um resultado bem mais rápido, ao invés de você gastar horas e horas se lamentando ou tentando navegar nos mares de Jack Sparrow. Na vida prática, mesmo sem apocalipse, nem sempre é bacana fazer gambiarras no AE ou apostar em plugins que só fecham na sua cara e dão outros problemas.

Hoje em dia, temos softwares como o Blender e o Cinema 4D, que não super poderoso e bem simples de aprender e começar. Se você sobreviver ao Afterpocalipse, aprenda um programa 3D e vá inserindo aos poucos em seus trabalhos. É uma excelente forma de começar.

Faça sua trilha

Conhecimento em música pode ser muito bom para dar a noção de ritmo e fluidez no tempo, isso porque o ritmo funciona de uma forma bem semelhante na música e na animação.

Experimente fazer um Air Batera quando for marcar o tempo em sua edição ou animação.

Funciona muito!

Imagem: Bárbara Siewert

Construa o seu próprio AE

Chegou a hora de finalizar o seu material. Construa o seu After Effects juntando pedaços de Photoshop, imagens captadas, cole todos os pedaços com um software de edição.

Mesmo para o Motion Designer, saber o básico de edição pode ser bem importante para a sobrevivência e pode te salvar em muitos tipos diferentes de apocalipse.

Muitas vezes, precisamos somente montar um animatic simples, inserir um novo trecho ou apenas trocar uma trilha. O software de edição estara lá, pronto para salvar a sua vida.

Entregue o trabalho para o cliente

E se esse Apocalipse evoluir e se espalhar pela internet? As conexões ficam bem lentas, te impedindo de enviar grandes arquivos. Você tem pouco tempo e o cliente ainda está na sua cola. Será preciso correr para o escritório para entregar o trabalho.

Antes do fim do mundo, a gente enviava um email com o link do material e mandava aquela mensagem de voz lá no Zap ( a.k.a. WhatsApp), só para dar aquela confirmada. Mas marcar uma reunião, seja ela remota ou local, apresentar as ideias, contar como foi o desenvolvimento e mais detalhes do projeto podem te fazer ganhar o cliente e também mostra profissionalismo.

Mesmo em momentos de crise é preciso mostrar maturidade e apresentar suas ideiais. Isso valoriza muito o seu trabalho.

Imagem: Ju Sting

Muito além da ficção

Tendências vem e vão. Softwares se atualizam rápido demais. Novas habilidades são exigidas para os profissionais de ponta. Explorar outros horizontes e caminhos desconhecidos pode ser uma tarefa difícil, mas super necessária porque revoluções podem acontecer a todo instante.

Precisamos aprender a domar os conceitos e técnicas, não somente máquinas e softwares. Com o tempo, vamos adquirindo um repertório de alternativas e soluções que podem nos dar mais facilidade para resolver certos problemas. Por isso, um profissional versátil, que conhece vários caminhos,  é aquele que viveu mais experiências.

Se jogue e experimente!

Diário de Campo

Agora que já dei várias idéias, chegou a sua hora de colocar a mão na massa. Pegue alguns papéis, um caderno ou, para os mais chiques, um Moleskine, e faça um Diário de Campo. Cole pedaços de rótulos, faça desenhos e explore várias midias. O Diário de campo pode te salvar de um Afterapocalipse, além de ser uma ótima ferramenta para sobreviver no mundo, na realidade que se parece tanto com a ficção. Chegou a sua vez de experimentar!

Conte pra gente como foi viver essa jornada imaginária.

Comentários

comments