Uma senha sera enviada para seu e-mail

Copas do mundo e as aberturas para TV

Em se tratando do nosso trampo, animação em tempo de Copa tem significado duplo. Copa do mundo está aí, alguns gostam, outros detestam. Diferenças à parte, uma pesquisa rápida sobre aberturas oficiais para TV  nos dão uma clara noção sobre a presença indissociável de animações, que “comeram pelas beiradas”, e hoje, são protagonistas dos vídeos oficiais. Essa mudança, claro, tem a ver com a evolução de softwares e as possibilidades que eles fornecem, mas também, evidenciam que nós iremos dominar o mundo dessa nova geração. Para alguns, como nós, sentem aí e voltem ao passado, para os mais novos, respeitem nossos sentimentos.

Copa de 86 (México)

Intro de Tv do Mexico com elementos de bouncing ball. Até aí, pouca gente lembra. Nesse ano, também, foi lançado o curta-metragem “Quando os Morcegos se Calam”, o responsável pela animação era Fábio Lignini.

Copa de 90 (Itália)

Nesse intro para a TV a bola passeia pela cultura e monumentos italianos. Para não se perderem quanto a um registro histórico paralelo, foi nesse ano a estréia de “O fantástico mundo de Bob”. Animações de cunho 2D eram a pedida até o momento.

Copa de 94 (USA)

Saudosismos a parte. Para quem é do fim dos anos 70 até metade dos 80, tem-se um carinho especial por essa copa.

Copa de 98 (França)

Do saudosismo de 94 para a lembrança não tão agradável na edição seguinte. Deixando o sentimentos de lado, tem-se uma nítida melhora de elementos gráficos dos 4 anos anteriores a realização da copa nos EUA.

Copa de 2002 ( Japão e Coréia do Sul)

Em 2002 pela primeira vez a Copa do Mundo de futebol foi disputada no continente asiática. Esta também foi a primeira vez que a organização da Copa do Mundo foi dividida por dois países: Japão e Coréia do Sul. Impressionante a organização.

Copa de 2006 (Alemanha)

O que chama à atenção é que os elementos gráficos nessa abertura me lembram cerveja, coincidências à parte ou não.

Copa de 2010

A copa que mais remete a shakira do qualquer outro momento na vida.

Copa de 2014 (Brasil)

Essa abertura destaca-se pelos tons de cores, não obstante os traumas que carregaremos dela.

Copa de 2018 (Rússia)

Nessa copa que mais “amassamos um barro” do que disputamos com reais chances, a computação gráfica é bonita e bastante representativa da cultura, como quase todas. Porém, assim como nas últimas edições, com a possibilidade de criação expandia, ficaram-se mais evidentes elementos culturais e correlações históricas.

Então é isso, caso queiram ver um condensado das aberturas em um só vídeo, é só aproveitar esse vídeo.E para vocês, quais as produções mais inteligentes? Poderíamos ficar horas debatendo os elementos e contradições levantados em algumas aberturas.

Comentários

comments