Motion e humildade

Ultimamente tenho pensado em como a humildade é o atributo mais importante para evoluir na nossa carreira criativa, principalmente no motion design. Vejo isso quando penso sobre minhas últimas experiências de estudo.

Com alguns anos de experiência trabalhando com After Effects, acabamos nos sentindo confortáveis ao ponto em que conteúdos sobre o software parecer irrelevantes e “chovendo no molhado”. Mesmo assim, eu frequentemente me deparo com coisas que não sabia e que ajudam muito no workflow. Outro dia eu descobri que se eu segurar a barra de espaço depois de puxar um handle de um desenho com a pen tool, eu posso mover o último ponto que desenhei. Ontem mesmo aprendi que se eu segurar shift quando parento um objeto no outro, o objeto parentado vai pro mesmo position do outro objeto. E olha que eu sou alguém que trabalha com after effects pelo menos desde 2015…

Isso mostra que consumir conteúdo, mesmo focado em um público iniciante, sempre pode nos ensinar alguma coisa.

Humildade é essencial para lidar com o cliente. Mesmo sendo nós os especialistas, a opinião de quem te contrata sempre é relevante, mesmo que pareça meio non sense. Já perdi as contas de quantas vezes o projeto ficou melhor depois de uma alteração que eu julguei desnecessária num primeiro momento. O oposto acontece também, claro, mas sempre precisamos lembrar que os clientes conhecem os próprios negócios mais do que nós conhecemos. Saber ouvir feedback é muito mais importante que saber se expressar.

Quando comecei a estudar Blender eu já sabia Cinema 4D. Já era um software que eu tinha certo domínio e foi preciso humildade para migrar. Começar um software do zero é bem chato no começo, e pior ainda quando você já vem cheio de vícios do outro software que usava. É preciso adaptar sua memória muscular para aquele outro programa. Dá a impressão que voltamos algumas posições na nossa carreira, apesar de ser justamente o contrário. Dominar mais um software me torna um profissional mais completo e flexível!

Além disso, nossa indústria está sempre mudando. Já trabalhei com designers que chegaram a desenhar marcas em pranchetas, quando computadores ainda não eram tão comuns. Estas pessoas com certeza tiveram dificuldade para aprender e adaptar seu trabalho ao Illustrator. Sem humildade, seria fácil considerar que o jeito antigo é mais eficiente e usar isso como desculpa para nunca evoluir.

É preciso humildade para criticar trabalhos, seja de outras pessoas ou os seus próprios. Considerar que a solução perfeita não existe e, portanto, sempre pode haver uma melhor que aquela que encontramos.

Saber ouvir e dar feedback, passar conhecimento adiante, aprender novas ferramentas… todos esses pontos são essenciais pro nosso crescimento e todos eles requerem diferentes doses de humildade.

Comentários

comments