Temos a tendência em acreditar que nossas máquinas e equipamentos são infalíveis. Salvamos inúmeros projetos em lugares diversos, possuímos uma quantidade razoável de softwares instalados, músicas, filmes, assets e o diabo. Uma rápida olhadela revela o quão perigoso é “deixar as coisas ali para depois” em nossos computadores.

via Tech Radar

O assunto backup é velho na indústria e se sabe que não podemos cochilar. Conheço lunáticos que usam backup até para auto-saves – e não exagero, de modo algum.

Mas o mais importante são os trabalhos e projetos profissionais que, invariavelmente, salvamos e não “backupeamos”. Isso é ruim, muito ruim.  Tão ruim que hoje cedo estava passeando pelo Twitter, quando vi que Andrew Kramer postou uma pequena dica via Instagram:

View this post on Instagram

Public Service Announcement!

A post shared by Video Copilot (@andrewkramer) on

Se você não entendeu, Andrew conta no vídeo que um projeto em andamento por lá, quase foi pro espaço. O HDD onde todos os mix de áudio estavam salvos parou de funcionar de repente, sem aviso, durante a edição das trilhas e SFX. Boom! Depois de testar em outras máquinas, perceberam que tinham perdido aquele HDD e tudo dentro dele.

Por sorte, Andrew diz que possuíam um backup inteiriço daquele HDD, podendo então dar continuidade ao projeto. A ideia que fez Kramer postar esse vídeo é simplesmente para que todos nós parássemos e observássemos há quanto tempo não fazemos backup – se é que fizemos em algum momento -, pois isso pode rolar a qualquer hora, com qualquer um.

Por isso, fica aqui nosso alerta e pedido: Façam backup, galera! Salvem tudo que for importante em outro lugar confiável. Façam backup do backup, se necessário. 

Em projetos em andamento, isso é ainda mais crítico. Tenham cópias de tudo, não brinquem com isso, pois o problema em se perder projetos e assets inteiros – principalmente atuais -, é maior do que imaginamos.

Não confiem em suas máquinas.

[sgmb id=”1″]

Comentários

comments