4   +   10   =  

Conseguir criar Volumetric Rays convincentes não é um negócio simples. Se você fizer sem atenção e cuidado, o resultado provavelmente será sem graça e falso.

Isso é ainda mais sério quando se tenta criar esse tipo de efeito em softwares de composição como o Nuke. A natureza 2D de softwares de composição parece deixar o Volumetric Rays meio… Bom, como se estivessem sido criados em composições 2D.

É bom que se atente para o fato de que Volumetric Rays funcionam de maneira dinâmica e são naturalmente 3D, já que possuem volume e, obviamente, luz ambiente.

Com isso em mente, Hugo Guerra – Supervisor VFX baseado em Londres -, nos dá um novo insight sobre a técnica de se conseguir Volumetric Rays via Nuke. De forma curta, concisa e objetiva, Guerra apresenta soluções simples para um problema que ele considera comum no ramo de efeitos visuais: simular efeitos volumétricos sem a necessidade de um software 3D real.

Hugo possui um canal no Youtube chamado Hugo’s Desk, em que oferece de tudo: desde tutoriais a vídeos de gameplay.

 

Fonte: Lesterbanks

[sgmb id=”1″]

Comentários

comments